Tag - cenfe

Queimaduras em Crianças – saiba como preveni-las

Por Victor Gabriel.

Ver um filho machucado está entre as principais preocupações dos pais.

Quem tem filho por volta dos 2 anos tem nas mãos uma tarefa ainda mais árdua, pois esta é a idade em que os “pequenos” começam a andar e acabam subindo e se segurando em tudo, e, na maioria das vezes, é aí que mora o perigo das queimaduras, além de outros tipos de lesões e traumas.

Para se ter uma ideia do quanto a ocorrência de queimaduras é comum entre crianças, um estudo de 2012, intitulado “Queimaduras em crianças e adolescentes: caracterização clínica e epidemiológica*, estimou que as queimaduras acidentais seriam a quarta maior causa de mortes infantis no Brasil. Mas o que fazer para evitá-las?

 

Primeiramente, por que isso acontece?

A criança é curiosa por natureza, ainda mais na faixa etária de 2 a 6 anos. Por desconhecer os riscos associados aos acidentes domésticos acaba se colocando em situações de perigo, situações em que na maioria das vezes poderiam ser evitados se houvesse o acompanhamento necessário.

O maior vilão no caso das queimaduras é o descuido dos pais. Em geral devido à pressa ou por desconhecimento das causas acabam se descuidando, deixando de atentar para os gatilhos aos quais as crianças estão expostas e que podem levar à lesão.

 

O que faço para evitar as queimaduras?

A melhor arma contra acidentes é a prevenção, algumas atitudes podem te fazer evitá-las:

  • Não deixar panelas com os cabos do lado de fora ao cozinhar;
  • Não deixar algo que a criança possa usar como apoio para subir do lado do fogão;
  • Não deixar a panela no canto da pia quando for fazer aquele cafezinho;
  • Não deixar o ferro de passar sem apoio quando estiver passando a roupa;
  • Não deixar a criança brincar perto do forno quando estiver assando algum prato;
  • Não usar forros de mesa se a criança estiver aprendendo a andar, pois ela pode se apoiar e derrubar algo quente em cima dela;
  • Não deixar produtos inflamáveis ou corrosivos ao alcance das crianças;
  • Tomar cuidado ao se deslocar com algo quente nas mãos para não derrubar na criança;
  • Ensinar a criança sobre os riscos dos objetos da casa;
  • Entre outras.

Ao obedecer tais atitudes é possível reduzir as chances de um acidente com criança. Ainda assim, é importante que os pais sempre estejam próximos e atentos aos filhos, durante atividades, banhos, monitorando constantemente o local onde a criança está.

O meu filho se queimou, o que faço agora?

Saiba o que fazer nestes casos:

  • A primeira coisa a se fazer é manter a calma e colocar a parte queimada embaixo de água corrente. Além de evitar a dor, a água age evitando que o calor passe para áreas vizinhas e piore ainda mais a área lesionada.
  • Avalie a intensidade da queimadura, se estiver somente com vermelhidão e sem bolhas (1º grau) o uso de pomada para assaduras deve aliviar.
  • Se houver o aparecimento de bolhas (2º grau), procure imediatamente um serviço médico especializado ou pronto socorro e não estoure as bolhas. As bolhas preservam a umidade do local ferido e não exposto.
  • Nunca utilize métodos caseiros, tais como: uso de creme dental, margarina ou quaisquer outros produtos sem eficácia comprovada cientificamente.

 * * *

 

Fontes:
Fernandes, F. M. et al. Queimaduras em crianças e adolescentes: caracterização clínica e epidemiológica, Porto Alegre: Revista Gaúcha de Enfermagem, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472012000400017>

Lucena, E.V. Figueiredo, T. Queimadura na infância: uma abordagem acerca das implicações para a saúde e qualidade de vida, João Pessoa: Temas em Saúde, 2017. Disponível em: <http://temasemsaude.com/wp-content/uploads/2017/05/17114.pdf>

Leia mais...

Entendendo o processo de Cicatrização da ferida

A ferida é causada por trauma, queimadura, úlcera, cirurgia e outros condições clínicas. Embora a maioria das feridas geralmente cicatrize bem, a falha na cicatrização de feridas afeta milhões de pessoas no mundo através da inflamação descontrolada e infecção.

A cicatrização da ferida é composta de muitos processos complexos que incluem resposta inflamatória, nova formação de tecido e remodelação tecidual.

Nas primeiras 48 horas após a lesão
Diferentes células do sistema imunológico, como neutrófilos, monócitos e linfócitos, trabalham em conjunto para evitar o sangramento e remover os tecidos mortos para equilibrar o processo inflamatório e fazer o reparo adequado da ferida.

Nos próximos 2-10 dias
 A formação de novos tecidos é seguida através da proliferação celular e migração de diferentes tipos de células, como fibroblastos, queratinócitos e células endoteliais. Nesta fase, os fibroblastos desempenham papéis muito importantes na formação do novo tecido. A ferida irá atrair quantidade de fibroblastos para os locais da lesão para facilitar a cicatrização da ferida através de diferentes mecanismos.

Por exemplo: a produção da ferida pode aumentar a proliferação e migração de fibroblastos para promover a formação de cicatriz.

Além disso, os fibroblastos podem secretar muitos fatores, como a metalopeptidase de matriz 14 (MMP-14), fator de crescimento de fibroblastos básico (bFGF), fator de crescimento de fibroblastos-9 (FGF-9) para regular a homeostase do colágeno, angiogênese ou outras importantes funções para facilitar a cicatrização da lesão.

Os fibroblastos também podem se diferenciarem em miofibroblastos, produzindo matriz extracelular e, finalmente, formamndo a cicatriz madura.

Em 2 a 3 semanas após a lesão
Ocorre o processo de remodelação tecidual, que pode durar um ano ou mais. Neste estágio, os processos inteiros ativados pela lesão irão diminuir e cessar enquanto as células ativadas sofrerão apoptose. Células diferentes (fibroblastos, macrófagos e células endoteliais) irão secretar metalopeptidase da matriz para remodelar e fortalecer os tecidos reparados.

Através destes processos clássicos de cicatrização de feridas, a ferida será reparada.

Leia mais...

Novo Ambulatório de Feridas, Cuidado com o Paciente

O Cenfe inaugura agora em Novembro/18 seu novo ambulatório de feridas, localizado em Brasília, mais um espaço de saúde voltado à comunidade em geral com objetivo de concentrar o atendimento de pacientes de toda a cidade.

O ambulatório de feridas tem o intuito de atender a demanda de pacientes com algum tipo de lesão crônica ou aguda e especialmente ser uma unidade de atendimento para as demandas médicas das especialidades da Endocrinologia, Oncologia, Cirurgia Geral e Vascular, Dermatologia, Clínica Médica e outras especialidades cujo ambulatório possa apoiar o atendimento para realização de procedimentos.

O espaço conta com estrutura de sala de procedimento, consultório e recepção, habilitados para o atendimento médico e de enfermagem. A unidade está localizada na Quadra 716 Sul, Conjunto B, Bloco 5, Loja 08, Edif. Centro Médico Brasília – Brasília (saiba mais).

 

Serviços que serão realizados no ambulatório:

  • Curativos especiais (saiba mais)
  • Curativo por pressão negativa, à vácuo (saiba mais)
  • Tratamento de feridas à laser (laserterapia) – (saiba mais)
  • Curativo por LED – (saiba mais)
  • Ultrassonografia vascular

 

Tipos de feridas atendidas:

  • Feridas Diabéticas, Pé diabético.
  • Úlceras por pressão e Dermatites (saiba mais).
  • Feridas Oncológicas.
  • Feridas Venosas e Arteriais.
  • Lesões Neuropáticas.
  • Queimaduras.
  • Úlceras e Feridas por Traumas e Quedas.
  • Feridas Cirúrgicas (Deiscências).
  • Epidermólise Bolhosa.
  • Inflamações, Edemas e dores em geral.
  • Fissura da amamentação e Mamarias.
  • Enxertos de pele.
  • Onicomicose (saiba mais)

 

À disposição das equipes médicas

O Cenfe já atua no processo de tratamento de feridas desde 2017, por meio do atendimento em nível domiciliar e do fortalecimento da formação de estudantes e profissionais da área da saúde. Com o aumento das atividades, a visão de um cuidado integral mobilizou a instalação de um espaço específico.

O ambulatório fortalece o desenvolvimento da saúde da região.

“Vamos trabalhar muito próximos dos médicos e equipes de saúde para oferecer ao paciente toda a assistência para o tratamento de feridas” comenta Benedito Silva, Diretor da empresa.

Leia mais...

A Ozonioterapia no Tratamento de Feridas

A Ozonioterapia é prática integrativa e complementar de baixo custo, segurança comprovada e reconhecida, que utiliza a aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio, por diversas vias de administração, com finalidade terapêutica, já utilizada em vários países como Itália, Alemanha, Espanha, Portugal, Rússia, Cuba, China, entre outros, há décadas.

Há algum tempo, o potencial terapêutico do ozônio ganhou muita atenção através da sua forte capacidade de induzir o estresse oxidativo controlado e moderado quando administrado em doses terapêuticas precisas. A molécula de ozônio é molécula biológica, presente na natureza e produzida pelo organismo sendo que o ozônio medicinal (sempre uma mistura de ozônio e oxigênio), nos seus diversos mecanismos de ação, representa um estimulo que contribui para a melhora de diversas doenças, uma vez que pode ajudar a recuperar de forma natural a capacidade funcional do organismo humano e animal.

Alguns setores de saúde adotam regularmente esta prática em seus protocolos de atendimento, como a odontologia, a neurologia e a oncologia, dentre outras.

A ozonoterapia tópica se apresenta como alternativa para auxílio no tratamento de lesões e feridas complexas, a exemplo do pé em diabéticos, pois, além de seu poder antimicrobiano, estimula a formação de novos vasos na região afetada, aumentando a irrigação local, acelerando a formação de tecido de granulação e diminuindo o tempo de cicatrização, podendo, ainda, ser uma forma de induzir a adaptação ao estresse oxidativo.

Diferentes publicações e estudos demonstraram que a ozonoterapia associada à terapia convencional favorece a cicatrização de lesões e feridas complexas, como é o caso por exemplo de úlcera em pé diabético, isso porque apresenta fortes propriedades antissépticas, causa oxigenação local de per se e, devido à neovascularização induzida, acelera a reparação tissular.

Leia também: “O que é importante saber sobre a Ozonioterapia“. Clique!

* * *

O CENFE realiza o serviço de Ozonioterapia. Para agendar consulta ou mais informações, ligue (61) 3036-6594.

Leia mais...

Nova Parceria: Cenfe e Club Card Saúde

O Cenfe agora faz parte da rede de serviços de saúde da Club Card Saúde e passa a oferecer todos os serviços aos usuários da CCS. Os usuários da Club Card Saúde contam com todos os serviços oferecidos pelo Cenfe na unidade ambulatorial e de assistência médico domiciliar.

No último mês de junho/18 o centro de tratamento de feridas e lesões complexas participou de evento realizado pela CCS que reuniu a comunidade de saúde como um todo para discutir o sistema de saúde da Club Card Saúde e na ocasião selou a parceria.

Serviços:

  • Tratamento de Feridas (úlceras, pé diabético, lesões venosas, escaras e lesões complexas)
  • Laserterapia
  • Assistência Domiciliar
  • Inserção de Cateter Venoso guiado por Ultrassom
  • Inserção de PICC guiado por Ultrassom
  • Ecografias
  • Exames Diagnósticos de TVP

 

Sobre o CENFE

Centro de tratamento de feridas e lesões complexas, inclusive em regime de Assistência Domiciliar.

Temos como finalidade o tratamento especializado da pessoa lesionada por feridas, crônicas ou agudas, inclusive aqueles com indicação de Home Care.

Atuando de forma Assertiva na elaboração da conduta clínica focamos a restauração da saúde do paciente, o resgate e manutenção da sua qualidade de vida e o bem-estar.

Balizadores da assistência:

  • Foco no resultado do tratamento com a melhor relação custo benefício;
  • Conduta clínica acompanhada de meta assistencial;
  • Tempo de tratamento pré-estabelecido para assegurar controle de custos;
  • Assistência Domiciliar visando o conforto da pessoa;
  • Gestão dos custos assistenciais.

 

Conheça o CENFE. Ferida é um problema de saúde que se não tratado pode debilitar ainda mais a pessoa. Fale com a gente. (61) 3036-6594.

Leia mais...

Fitoterapia: Indicação à cicatrização de feridas

A fitoterapia é o ramo da medicina que utiliza plantas medicinais e fitoterápicos para o tratamento das enfermidades, conforme definido na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares – PNPIC, no Sistema Único de Saúde (SUS).

A fitoterapia é uma terapêutica caracterizada pelo uso de plantas medicinais em suas diferentes formas farmacêuticas, sem a utilização de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal. O uso de plantas medicinais na arte de curar é uma forma de tratamento de origens muito antigas, relacionada aos primórdios da medicina e fundamentada no acúmulo de informações por sucessivas gerações.

Entre as plantas medicinais indicadas para cicatrização de feridas, com comprovadas ações, se destacam:

  • Anacardium occidentale L.(cajueiro)
  • Caesalpinia ferrea Mart. (pau-ferro)
  • Casearia sylvestris Sw. (guaçatonga)
  • Schinus terebinthifolia Raddi (aroeira)
  • Stryphnodendrom adstrigens (Mart.) Coville (barbatimão)
  • Calendula officinalis L. (calêndula)
  • Polygonum punctatum Elliott (erva-de-bicho)
  • Coronopu didymus (L.) Smith (mastruço)
  • Aloe Vera (L.) (babosa)
  • Helianthus annuus (girassol).

Podem ser utilizadas por meio de muitas formas farmacêuticas, disponibilizadas na Fitoterapia, tais como: preparações extemporâneas (infusão e decocção – chamados popularmente de chás), tinturas, gel, creme, pomada, óleo.

A Resolução RDC n10, de 9 de março de 2010 apresenta uma lista de plantas medicinais, com informações sobre nome científico, popular, indicação, modo de uso, contraindicações, interações medicamentosas e efeitos adversos para preparações extemporâneas.

O municipio de Betim (MG), de Londrina (PR) e o Formulário Nacional de Fitoterápicos, apresentam alguns protocolos de fitoterapia de enfermagem com formulações para o tratamento de feridas. Conheça:

Creme de Barbatimão 10% + Óleo de Girassol – 60g

  • Indicação: Cicatrização de feridas em fase de granulação e escoriações.
  • Modo de usar: aplicar no local afetado 2 a 3 vezes ao dia, após higienização com solução fisiológica. Alerta quanto ao uso em idoso, pois pode provocar o aparecimento de fibrina.

Creme de Calêndula 5% + Barbatimão 5% – 30 e 60g

  • Indicação: Cicatrização de feridas que apresentem pequeno processo inflamatório e inicio de fase de  granulação; úlceras de decúbito fase II (ferida); feridas com hiperceratose.
  • Modo de usar: aplicar no local afetado 2 a 3 vezes ao dia, após higienização com solução fisiológica

Óleo de Girassol – 100ml

  • Indicação: Úlceras abertas com ou sem inflamação, cobertura primária em curativos (embeber a gaze)
  • Modo de usar: Aplicar na lesão, após assepsia, uma a duas vezes ao dia, ou a cada troca de curativo.

Creme de Calêndula a 10%:

  • Indicação: Dermatites de contato, inclusive dermatite de fralda ou amoniacal; dermatites eczematosas; feridas com processo inflamatório intenso; feridas em fase proliferativa com pouco ou nenhum exsudato; fístula extra bucal com secreção, processos inflamatórios na face (impetigo nasal, ressecamento perilabial, eczemas, dermatites, abrasão por trauma)
  • Modo de uso: aplicar no local afetado 2 a 3 vezes ao dia após higienização com solução fisiológica.

As plantas medicinais podem ser uma alternativa de grande relevância para o processo de cicatrização de feridas, que começam a fazer parte da atenção à saúde brasileira, considerando que seu uso seja validado por estudos para verificar seu potencial cicatrizante, comprovação clínica, custos e benefícios, e a constante atualização acerca das publicações realizadas.

Antes de iniciar qualquer tratamento, entretanto, é recomendado procurar um médico ou um profissional da saúde para auxiliar na definição da melhor conduta para o tratamento e acompanhar a evolução.


Fontes:

  • Telesaúde Santa Catarina

Bibliografia recomendada

  1. Piriz MA, et al. Plantas medicinais no processo de cicatrização de feridas: uma revisão de literatura.Rev. bras. plantas med. [online]. 2014; 16 (3): 628-636. ISSN 1516-0572.  Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1983-084X/12_178. Acesso em: 29 jan 2015.
  2. Brasil. Resolução RDC nº 10, 9 de março de 2010.  Acesso em: 29 jan 2015.
  3. Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopéia Brasileira / Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2011. 126p. Acesso em: 29 jan 2015.
  4. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE BETIM. DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Protocolo de enfermagem de fitoterapia. Acesso em: 29 jan 2015.
  5. LONDRINA. Prefeitura do Município. Autarquia Municipal de Saúde. Fitoterapia: protocolo/. Prefeitura do Município – 3. ed. – Londrina, Pr. 2012. 99. Acesso em: 29 jan 2015.
Leia mais...

Clínica de Tratamento de Feridas e Home Care – Brasília e Centro Oeste

Brasília agora conta com um centro especializado no tratamento de feridas e lesões complexas. O Cenfe está localizada no Centro de Convivência (atendimento administrativo) e no Hospital Alvorada Brasilia (ambulatório). Com foco nos cuidados de pessoas com feridas, a unidade conta com sede administrativa, responsável pela gestão de todo o atendimento, reunindo profissionais da saúde – enfermeiros, médicos e time multiprofissional – com experiência e habilitados nos cuidados de lesões.

Cuidar de feridas é um processo dinâmico e complexo que requer atenção especial principalmente quando se refere a uma lesão crônica. Segundo publicação do Ministério da Saúde, intitulada “Avaliação de Múltiplas Tecnologias em Feridas Crônicas e Queimaduras“, pouco se sabe sobre o “processo de cicatrização” de feridas, tornando seu tratamento bastante desafiador.

Nesse sentido e para preencher a lacuna dos cuidados com feridas o Cenfe trabalha protocolos clínicos específicos para a recuperação da lesão, a partir de planos de tratamento que estabelecem apenas as tecnologias necessárias aos cuidados. Dessa forma reduz o custo dos cuidados e promove a melhora da qualidade de vida e bem-estar social da pessoa lesionada.

Entre os serviços do Cenfe se destacam o tratamento de feridas complexas agudas e crônicas, úlceras diabéticas, vasculares, isquêmicas e por pressão, traumas e complicações cirúrgicas como deiscências do tecido de revestimento e perdas teciduais, tratamento de queimaduras de fase aguda com baixo dano estético e funcional na área atingida.


 

Sobre o Centro de Feridas

  • Responsável Técnico: Dr. Igor Nunes e Souza, Cirurgião Geral e Cirurgião Vascula, CRM-DF 14414
  • Enfermeira Técnica: Larissa Pignata M. Martins, Enfermeira e Pós Graduanda em Dermatologia, Coren/DF 394212
  • Licença de Funcionamento/DF: 20161400449158
  • Licença Sanitária/DF: EAS-00072-10
  • CNES: 9090746

Para mais informações a agendamento de atendimento: (61) 3036-6594 ou atencao@cenfewc.com.br

Leia mais...