Publicações

Feridas infectadas: o que saber sobre o assunto?

Por Gabriella Collodetti | Proativa Comunicação

As feridas, quando não cuidadas da forma adequada, tendem a ser propícias a sofrerem invasões de microrganismos patogênicos. Mas, o que isso significa? Em linhas gerais, os ferimentos que não recebem as devidas precauções são mais suscetíveis a serem infectados. Curioso, né?

Para entender melhor: a pele é conhecida por ser uma barreira natural do corpo humano. Basicamente, ela nos protege de agentes externos – no caso, bactérias – para que não tenhamos problemas de saúde. Quando há uma falha nessa barreira, os micróbios entram em contato com a superfície da lesão e, a partir disso, os tecidos “ficam” infectados.

Além de atrasar o processo de cicatrização da ferida, a infecção potencializa outros problemas, como a possibilidade de febre e piora da dor e do inchaço local. Para fugir dessa dor de cabeça, é importante reconhecer os principais tratamentos disponíveis para o cada tipo de ferimento. Além de tudo, é preciso analisar a profundidade da lesão e, com suporte médico, remover o tecido desvitalizado para que seja possível promover a proteção da pele saudável.

Os principais sintomas de uma lesão infectada são:

– Secreção amarelada ou com mau cheiro saindo da ferida;

– Agravamento da dor, vermelhidão e inchaço local;

– Mudanças no tamanho e na cor do ferimento;

– Em alguns casos, febre.

O tratamento dependerá, claro, do tipo do ferimento do paciente. É possível que o médico responsável passe medicamentos complementares ou antiinflamatórios para alivio da dor. O fato é: cada lesão possui um cuidado especial, portanto, é importante estar atento ao que é preciso para a cura e cicatrização do machucado infeccionado.

Dicas para cuidar das suas feridas

• Lavar as mãos antes e depois de entrar em contato com as feridas;
• Usar luvas para retirar curativos;
• Limpar a ferida com solução fisiológica a 0,9%;
• Utilizar coberturas que mantenham o ambiente favorável à cicatrização e que sejam recomendadas pelo médico;
• Proteger a região da pele ao redor da ferida.

Por fim, vale lembrar que é fundamental buscar auxílio profissional para que a ferida possa ser examinada e tratada. Vale a pena frisar que cada ferimento possui um tipo específico de tratamento. De todo modo, o que podemos tirar disso tudo é: não deixe de cuidar das suas lesões. Um ferimento simples pode se tornar complexo quando não tratado corretamente. Fique atento!

social position

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *