FAQs

Não. A estratégia de negócios CENFE não é o modelo de franquias. O profissional de saúde ao ingressar na rede tornar-se-á um Colaborador Associado, por meio de um instrumento contratual. A empresa instrumentalizará os profissionais da rede para uma atuação uniforme, sob a orientação técnica do Comitê Técnico da empresa. O colaborador associado tem autonomia em sua atuação assistencial e o gerenciamento administrativo do cliente/paciente é realizado pelo CENFE.

O profissional é um Colaborador Associado, efetivada após assinatura de contrato de associação. Disso, não há qualquer vínculo empregatício com o CENFE. Dos serviços realizados pelo colaborador não decorre qualquer vínculo ou obrigação trabalhista e previdenciária. O ingresso na rede está condicionado ao aceite dos termos do contrato e sua assinatura.

A gestão da dispensação dos recursos, curativos e outros materiais necessários ao tratamento é realizada pelo Centro de Distribuição da Unidade de Farmácia do CENFE. O profissional associado e o paciente não precisam se preocupar com compra de materiais, pois toda a prescrição é dispensada mensalmente para a residência do paciente ou para o ambulatório local.

O Técnico de Enfermagem atua sempre sob a supervisão de um Enfermeiro e nos limites de atuação previstos no anexo da Resolução COFEN nº 0567/2018, que regulamenta a atuação da equipe de enfermagem no cuidado aos pacientes com feridas.

Quando não há colaborador associado enfermeiro na localidade, consequentemente não há atuação de técnico de enfermagem.

Em ambos. Porém, a decisão pela implantação de unidade ambulatorial local precede de análise prévia do Cenfe. Até que isso ocorra, o profissional realiza o atendimentos em regime domiciliar.

O Cenfe pode estabelecer parceria em rede compartilhada, disponibilizando espaço físico para a atuação ambulatorial do profissional.

Sim. Nesses casos, a Coordenação de Negócios do CENFE orientará todo o processo para também determinar a oportunidade de implantação de unidade ambulatorial local.

Sim. A minuta do contrato de associação é disponibilizada aos profissionais pré-inscritos para que analisem as condições da associação. Os termos do contrato também estabelecem as diretrizes de pagamento da produtividade do profissional e os ganhos sobre os resultados globais e individuais.

O Colaborador Associado pagará uma taxa de associação no valor de R$ 29,90 vinculada à sua produtividade, sempre que houver produção. Este valor será deduzido do montante a ser pago ao profissional por sua produtividade. Os valores de produção estão previstos no contrato de associação.

Em agendas programadas o CENFE realizará atividades diversas, de treinamento, integração, ingresso, workshops, entre outros. De acordo com as características da atividade convidará o colaborador associado para deslocar-se até a Matriz, em Brasília (DF).

Há duas grades de treinamento:

  • Treinamento Inicial: realizado após o ingresso do profissional na rede;
  • Capacitação Continuada: realizada dentro da agenda de ensino do Cenfe.

Não há custos para o profissional associado participar.

O CENFE também colocará à disposição dos colaboradores associados os recursos necessários para o desenvolvimento da assistência, entre eles: orientação técnica por meio de Comitê, documentação assistencial, indicadores de evolução.