Tag - tratamento de feridas

Cenfe está ampliando sua equipe de atendimento para todo o Brasil

Em 2020 o CENFE estará presente em todo o Brasil.

O Centro Clínico Especializado no Tratamento de Feridas e Cuidados com a Pele, CENFE acaba de lançar a Rede Experts, seguindo o seu planejamento estratégico para ampliar sua equipe assistencial e a abrangência de atendimento para o tratamento de feridas em todo o Brasil. “Em 2020 o CENFE estará presente em todo o Brasil”, informa o Coordenador de Negócios, Everaldo Araújo, que responde pelas estratégias de crescimento da empresa.

“Abrimos o processo seletivo para recrutar profissionais de saúde, em especial, enfermeiros para compor a nossa rede experts”, destaca Everaldo.

O CENFE está recrutando: enfermeiros, com ou sem especialização; técnicos de enfermagem, com ou sem especialização; fisioterapeutas; fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos e médicos, em todo o Brasil. Para participar basta o interessado acessar a página com as informações da rede, preencher o formulário de pré-seleção e aguardar a conclusão do processo.

Sobre a Rede Experts

Rede Experts compreende a equipe de profissionais de saúde que serão associados ao CENFE para a prestação de serviços relacionados ao tratamento qualificado de feridas e cuidados com a pele, em regime ambulatorial e/ou domiciliar, atuando em conjunto com o centro no atendimento e solução às demandas regionais.

Os profissionais de saúde que integrarem a rede tornar-se-ão colaboradores associados à empresa e contarão com amplo gerenciamento do atendimento, além de apoio e orientação técnica do Comitê Assistencial de Tratamento de Feridas e Cuidados Com a Pele (Contemple).

Segundo Everaldo, o CENFE instrumentalizará os profissionais associados para que foquem a atenção exclusivamente no tratamento, na evolução da lesão, enquanto a empresa cuida de todos os processos administrativos e técnicos que circundam os cuidados e a assistência.

“Tratar feridas é uma atividade multiprofissional, é diferente de fazer curativos. No CENFE não fazemos curativos, tratamos feridas e nossa rede experts está assentada neste mesmo posicionamento”, garante o Coordenador de Negócios.

A rede chega em um momento importante para a empresa, com o crescimento e consolidação de sua operação local. Atualmente o CENFE atua sob a orientação técnica de seu comitê interno, denominado CONTEMPLE (Comitê Assistencial de Tratamento de Feridas e Cuidados Com a Pele, que reune cinco membros, entre médicos e enfermeiros especialistas no tratamento de feridas, e é responsável por orientar a assertividade da conduta dos tratamentos e o controle dos indicadores de sucesso da evolução dos cuidados.

A maioria dos serviços atualmente realizados pela unidade clínica do CENFE serão também executados pelos profissionais associados, entre eles consultas, procedimentos de saúde, curativos especiais, curativos por pressão negativa, laserterapia e outros.

Todos os profissionais associados terão plena autonomia de atuação em suas praças e ampla interação com o comitê técnico da empresa para alinhamento das estratégias de cuidados. Já o gerenciamento das atividades administrativas serão executadas integralmente pela empresa, garantindo a excelência nas entregas dos cuidados da rede.

Mais informações estão disponíveis em https://cenfewc.com.br/rede-experts.

Leia mais...

Atendimento médico domiciliar potencializa recuperação de pacientes

Alternativa é utilizada para casos em que os enfermos não conseguem sair do leito – ou da própria residência – para receber tratamento

O atendimento domiciliar tem sido uma alternativa para realização de diversos tipos de tratamentos. A escolha é benéfica para a saúde devido a integração da equipe interdiscilplinar com a familiar, o que favorece a melhoria de quem necessita de suporte emocional e clínico. Na maior parte dos casos, os cuidados em casa potencializam a recuperação do enfermo por trazerem conforto e bem-estar.

Para o tratamento de feridas, essa prática já é possível no DF. Incentivada pela oportunidade de aprimoramento, o Centro Especializado no Tratamento de Feridas (CENFE), especializado no assunto, realiza procedimentos na própria moradia dos seus pacientes há dois anos. Dentre os serviços oferecidos, pode-se citar os cuidados de lesões por pressão; curativos com coberturas primárias e secundárias; terapia de fotobiomodulação e fotodinâmica e também curativo à vácuo.

“O Cenfe iniciou sua atuação oferecendo apenas atendimento domiciliar. Hoje em dia, já oferecemos suporte também no âmbito ambulatorial”, conta Mirian Caires, coordenadora de Enfermagem do centro.

A especialista explica que, do ponto de vista terapêutico, não há diferença de tratamento quando o atendimento é em domicílio ou no ambulatório. O que influencia a decisão de contratação de cada serviço é, na verdade, a condição do paciente.

“Pacientes que estão acamados, ou seja, restritos ao leito, possuem dificuldades de locomoção. Nós não podemos deixá-los sem os cuidados apropriados, por isso realizamos esse serviço”, explica.

De acordo com o Ministério da Saúde, o carinho e a atenção familiar são assistências importantes para o tratamento de doenças. No caso das feridas não há diferença: a integração do familiar auxilia a recuperação do paciente e deixa o ambiente mais afetivo.

Além disso, tratamentos domiciliares têm reduzido os riscos de contaminação e infecção, visto que hospitais possuem uma taxa significativa de pacientes com diversos tipos de sintomas e doenças

 * * *

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA – CENFE
Proativa Comunicação
Contatos: Gabriella Collodetti (61 99308-5704) / Flávio Resende (61) 99216-9188
Tel: (61) 3242-9058
E-mail: proativa@proativacomunicacao.com.br
Facebook/ Instagram/Twitter: @ProativaC

Leia mais...

Entendendo o processo de Cicatrização da ferida

A ferida é causada por trauma, queimadura, úlcera, cirurgia e outros condições clínicas. Embora a maioria das feridas geralmente cicatrize bem, a falha na cicatrização de feridas afeta milhões de pessoas no mundo através da inflamação descontrolada e infecção.

A cicatrização da ferida é composta de muitos processos complexos que incluem resposta inflamatória, nova formação de tecido e remodelação tecidual.

Nas primeiras 48 horas após a lesão
Diferentes células do sistema imunológico, como neutrófilos, monócitos e linfócitos, trabalham em conjunto para evitar o sangramento e remover os tecidos mortos para equilibrar o processo inflamatório e fazer o reparo adequado da ferida.

Nos próximos 2-10 dias
 A formação de novos tecidos é seguida através da proliferação celular e migração de diferentes tipos de células, como fibroblastos, queratinócitos e células endoteliais. Nesta fase, os fibroblastos desempenham papéis muito importantes na formação do novo tecido. A ferida irá atrair quantidade de fibroblastos para os locais da lesão para facilitar a cicatrização da ferida através de diferentes mecanismos.

Por exemplo: a produção da ferida pode aumentar a proliferação e migração de fibroblastos para promover a formação de cicatriz.

Além disso, os fibroblastos podem secretar muitos fatores, como a metalopeptidase de matriz 14 (MMP-14), fator de crescimento de fibroblastos básico (bFGF), fator de crescimento de fibroblastos-9 (FGF-9) para regular a homeostase do colágeno, angiogênese ou outras importantes funções para facilitar a cicatrização da lesão.

Os fibroblastos também podem se diferenciarem em miofibroblastos, produzindo matriz extracelular e, finalmente, formamndo a cicatriz madura.

Em 2 a 3 semanas após a lesão
Ocorre o processo de remodelação tecidual, que pode durar um ano ou mais. Neste estágio, os processos inteiros ativados pela lesão irão diminuir e cessar enquanto as células ativadas sofrerão apoptose. Células diferentes (fibroblastos, macrófagos e células endoteliais) irão secretar metalopeptidase da matriz para remodelar e fortalecer os tecidos reparados.

Através destes processos clássicos de cicatrização de feridas, a ferida será reparada.

Leia mais...

Falta de conhecimento prejudica processo de cura de lesões

Todo ferimento deve ser avaliado por um profissional. Além disso, é importante saber detalhes básicos de cuidados para não agravar o quadro clínico da ferida.

Feridas que não são cuidadas de forma correta podem gerar problemas de cicatrização e também de infecção. Atualmente, muitas pessoas cometem erros básicos que podem agravar o quadro clínico. Para evitar esse problema, é importante conhecer os procedimentos padrões para o tratamento dos ferimentos, pois, dessa forma, é possível curar a pele efetivamente.

“A ausência de cuidados é responsável pela piora e/ou pela lentidão na melhora das lesões. Um dos maiores fatores para esse problema é a falta de conhecimento do paciente sobre a maneira apropriada para cuidar de feridas específicas. Isso pode agravar o quadro”, explica Igor Nunes, médico cirurgião geral e vascular e coordenador técnico do Cenfe Wound Care.

É importante estar atento aos primeiros sinais das feridas. Pacientes com fatores de risco, como diabetes, insuficiência arterial ou venosa possuem predisposições eventualmente aumentadas para a abertura de machucados em membros inferiores.

“Qualquer vermelhidão merece atenção especial nessas pessoas”, complementa Nunes.

Segundo os profissionais de enfermagem, feridas do dia a dia podem e devem ser lavadas para que sejam higienizadas. Entretanto, as lesões crônicas devem fugir da água, pois, com esse contato, a tendência de desencadear uma grave contaminação do paciente é extremamente elevada.

O médico cirurgião geral e vascular ainda pontua a importância de estar sempre de olho nos ferimentos que aparecem no corpo. Juntamente a esse fator, é necessário ter ciência das possíveis enfermidades que ocasionam lesões.

“Atenção às doenças crônicas associadas a feridas é muito importante, pois permite que você tenha um controle sobre o seu corpo e possa procurar um profissional especializado no assunto”, aconselha.

 * * *

Dicas de tratamento – Inicialmente, é necessário examinar a ferida: local, tamanho, profundidade, secreções, pus, sangue, dor e odor são informações fundamentais para determinar como será feito o tratamento para obter cicatrização.

Além disso, toda ferida precisa de remoção de impurezas, portanto, corpos estranhos, secreções e outros problemas com bactérias e micróbios devem ser retirados com produtos de limpeza apropriados e recomendados por enfermeiros de confiança.

Vale ressaltar que os tecidos sadios devem ser protegidos, isto é, o tecido morto e desvitalizado deve ser removido para evitar infecção. O ideal é consultar um profissional de enfermagem ou médico para que o procedimento seja feito da maneira adequada. É importante ainda, neste período de lesão,  não entrar em contato com possíveis alergias.

Outras informações podem ser obtidas com a equipe assistencial Cenfe Wound Care. Clique a aqui e Fale Conosco.

Leia mais...

Cenfe reorganiza agenda do Workshop

A agenda do 2º Ciclo Cenfe de Workshop em Feridas foi reorganizada e a partir do próximo módulo passa a ter aulas mensais.

A reorganização buscou compatibilizar as datas das aulas às agendas dos professores, em função do curto espaçamento de tempo, e principalmente para assegurar que a transmissão do conteúdo do formato Online se dê de maneira plena e possibilite melhor planejamento dos interessados e participantes.

Com isso o Cenfe conseguirá produzir mais conhecimento e melhor interação com os participantes, especialmente no pós-aula quando há demandas de perguntas a serem direcionadas aos professores.

Cada módulo gerará uma sessão no sítio do Cenfe, no ambiente de educação (para pessoas cadastradas), criando uma forma de “biblioteca” do que foi apresentado.

Desde já o Cenfe conta com a compreensão dos participantes. Dúvidas e informações podem ser esclarecidos nos canais de atendimento do Cenfe, pelo email administrativo@cenfewc.com.br  ou pelo Whatsapp (61) 9 8641 9201.

Inscreva-se em cenfe.med.br

Confira a reprogramação:

 

 

Leia mais...

Úlceras por Pressão e Dermatite

Aconteceu hoje (23) o curso do Módulo 2 do 2º Ciclo Cenfe de Workshop em Feridas. Ministrado pela Enfermeira pós-graduada em Enfermagem Dermatológica, Cristiane Gianini, a aula abordou as Úlceras por Pressão e a Dermatite associada à incontinência.

Uma das consequências mais comuns, resultante de longa permanência em hospitais, é o aparecimento de alterações de pele. A incidência aumenta proporcionalmente à combinação de fatores de riscos, dentre eles, idade avançada e restrição ao leito.

A manutenção da integridade da pele dos pacientes restritos ao leito tem por base o conhecimento e a aplicação de medidas de cuidado relativamente simples. A maioria das recomendações para avaliação da pele e as medidas preventivas podem ser utilizadas de maneira universal, ou seja, tem validade tanto para a prevenção de úlcera por pressão (UPP) como para quaisquer outras lesões da pele.

Diferentemente de boa parte das alterações de pele, a UPP tem sido alvo de grande preocupação para os serviços de saúde, pois a sua ocorrência causa impacto tanto para os pacientes e seus familiares, quanto para o próprio sistema de saúde, com o prolongamento de internações, riscos de infecção e outros agravos evitáveis.

Segundo dados da National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP), EUA, a prevalência de UPP em hospitais é de 15% e a incidência é de 7%. No Reino Unido, casos novos de UPP acometem entre 4% a 10% dos pacientes admitidos em hospital. No Brasil, embora existam poucos trabalhos sobre incidência e prevalência de UPP, um estudo realizado em um hospital geral universitário evidenciou uma incidência de 39,81%.

As taxas de incidência e prevalência na literatura apresentam variações que se devem às características dos pacientes e ao nível de cuidado, diferenciando-se em cuidados de longa permanência, cuidados agudos e atenção domiciliar:

  • Cuidados de longa permanência: as taxas de prevalência variam entre 2,3% a 28% e as taxas de incidência entre 2,2 % a 23,9%.
  • Cuidados agudos: as taxas de a prevalência estão em torno de 10 a 18% e de incidência variam entre 0,4% a 38%.
  • Atenção Domiciliar: as taxas de prevalência variam entre 0% e 29% e as de incidência variam entre 0% e 17%.
  • Úlceras por pressão causam dano considerável aos pacientes, dificultando o processo de recuperação funcional, frequentemente causando dor e levando ao desenvolvimento de infecções graves, também têm sido associadas a internações prolongadas, sepse e mortalidade.

Fonte: Proqualis.net

 

Assista à Aula de Úlcera por Pressão e Dermatite associada à Incontinência. Clique Aqui.

 

Leia mais...

Neuropatia e Doença Arterial em Diabéticos

Ontem (17) a professora Luz Marina (Enfermeira, Doutoranda em Ciências da Saúde da UNB) iniciou o 2º Cenfe de Workshop em Feridas abordando o tema “Rastreamento de Neuropatia e Doença Arterial Periférica em Pacientes Diabéticos”.

Em sua aula foram apresentadas abordagens relacionadas a ao diabetes no mundo e no Brasil, conceitos do pé diabético, epidemiologia, avaliação de risco de ulceração, triagem da neuropatia e da doença arterial periférica, evidências científicas sobre os fatores de riscos e suas complicações, além de aspectos de prevenção, cuidados e orientação após as complicações.

O conteúdo e os materiais de estudo estão disponível aos interessados no tema. Clique AQUI para acessar.

Leia mais...

Nova Parceria: Cenfe e Club Card Saúde

O Cenfe agora faz parte da rede de serviços de saúde da Club Card Saúde e passa a oferecer todos os serviços aos usuários da CCS. Os usuários da Club Card Saúde contam com todos os serviços oferecidos pelo Cenfe na unidade ambulatorial e de assistência médico domiciliar.

No último mês de junho/18 o centro de tratamento de feridas e lesões complexas participou de evento realizado pela CCS que reuniu a comunidade de saúde como um todo para discutir o sistema de saúde da Club Card Saúde e na ocasião selou a parceria.

Serviços:

  • Tratamento de Feridas (úlceras, pé diabético, lesões venosas, escaras e lesões complexas)
  • Laserterapia
  • Assistência Domiciliar
  • Inserção de Cateter Venoso guiado por Ultrassom
  • Inserção de PICC guiado por Ultrassom
  • Ecografias
  • Exames Diagnósticos de TVP

 

Sobre o CENFE

Centro de tratamento de feridas e lesões complexas, inclusive em regime de Assistência Domiciliar.

Temos como finalidade o tratamento especializado da pessoa lesionada por feridas, crônicas ou agudas, inclusive aqueles com indicação de Home Care.

Atuando de forma Assertiva na elaboração da conduta clínica focamos a restauração da saúde do paciente, o resgate e manutenção da sua qualidade de vida e o bem-estar.

Balizadores da assistência:

  • Foco no resultado do tratamento com a melhor relação custo benefício;
  • Conduta clínica acompanhada de meta assistencial;
  • Tempo de tratamento pré-estabelecido para assegurar controle de custos;
  • Assistência Domiciliar visando o conforto da pessoa;
  • Gestão dos custos assistenciais.

 

Conheça o CENFE. Ferida é um problema de saúde que se não tratado pode debilitar ainda mais a pessoa. Fale com a gente. (61) 3036-6594.

Leia mais...

Diagnóstico Precoce do Pé Diabético

Por: Sociedade Brasileira de Diabetes.

O pé diabético é conceituado no glossário do Guidance (Recomendações) 2015, do IWGDF (International Working
Group on the Diabetic Foot ou Grupo de Trabalho Internacional sobre Pé Diabético), como “infecção, ulceração e/ou destruição de tecidos moles associadas a alterações neurológicas e vários graus de doença arterial periférica (DAP) nos membros inferiores”. Os dados epidemiológicos são variados e denotam a diversidade regional dos desfechos
dessa complicação: em países desenvolvidos, a DAP é o fator complicador mais frequente, enquanto nos países em desenvolvimento, a infecção é, ainda, uma complicação comum das úlceras dos pés em pacientes diabéticos (UPD), resultando em amputações. A frequência e gravidade também deve-se a diferenças socioeconômicas, tipo de calçados usados e cuidados, que não são padronizados em escala nacional nesses países.

Para saber mais, acesse Clique.

Leia mais...

Fitoterapia: Indicação à cicatrização de feridas

A fitoterapia é o ramo da medicina que utiliza plantas medicinais e fitoterápicos para o tratamento das enfermidades, conforme definido na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares – PNPIC, no Sistema Único de Saúde (SUS).

A fitoterapia é uma terapêutica caracterizada pelo uso de plantas medicinais em suas diferentes formas farmacêuticas, sem a utilização de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal. O uso de plantas medicinais na arte de curar é uma forma de tratamento de origens muito antigas, relacionada aos primórdios da medicina e fundamentada no acúmulo de informações por sucessivas gerações.

Entre as plantas medicinais indicadas para cicatrização de feridas, com comprovadas ações, se destacam:

  • Anacardium occidentale L.(cajueiro)
  • Caesalpinia ferrea Mart. (pau-ferro)
  • Casearia sylvestris Sw. (guaçatonga)
  • Schinus terebinthifolia Raddi (aroeira)
  • Stryphnodendrom adstrigens (Mart.) Coville (barbatimão)
  • Calendula officinalis L. (calêndula)
  • Polygonum punctatum Elliott (erva-de-bicho)
  • Coronopu didymus (L.) Smith (mastruço)
  • Aloe Vera (L.) (babosa)
  • Helianthus annuus (girassol).

Podem ser utilizadas por meio de muitas formas farmacêuticas, disponibilizadas na Fitoterapia, tais como: preparações extemporâneas (infusão e decocção – chamados popularmente de chás), tinturas, gel, creme, pomada, óleo.

A Resolução RDC n10, de 9 de março de 2010 apresenta uma lista de plantas medicinais, com informações sobre nome científico, popular, indicação, modo de uso, contraindicações, interações medicamentosas e efeitos adversos para preparações extemporâneas.

O municipio de Betim (MG), de Londrina (PR) e o Formulário Nacional de Fitoterápicos, apresentam alguns protocolos de fitoterapia de enfermagem com formulações para o tratamento de feridas. Conheça:

Creme de Barbatimão 10% + Óleo de Girassol – 60g

  • Indicação: Cicatrização de feridas em fase de granulação e escoriações.
  • Modo de usar: aplicar no local afetado 2 a 3 vezes ao dia, após higienização com solução fisiológica. Alerta quanto ao uso em idoso, pois pode provocar o aparecimento de fibrina.

Creme de Calêndula 5% + Barbatimão 5% – 30 e 60g

  • Indicação: Cicatrização de feridas que apresentem pequeno processo inflamatório e inicio de fase de  granulação; úlceras de decúbito fase II (ferida); feridas com hiperceratose.
  • Modo de usar: aplicar no local afetado 2 a 3 vezes ao dia, após higienização com solução fisiológica

Óleo de Girassol – 100ml

  • Indicação: Úlceras abertas com ou sem inflamação, cobertura primária em curativos (embeber a gaze)
  • Modo de usar: Aplicar na lesão, após assepsia, uma a duas vezes ao dia, ou a cada troca de curativo.

Creme de Calêndula a 10%:

  • Indicação: Dermatites de contato, inclusive dermatite de fralda ou amoniacal; dermatites eczematosas; feridas com processo inflamatório intenso; feridas em fase proliferativa com pouco ou nenhum exsudato; fístula extra bucal com secreção, processos inflamatórios na face (impetigo nasal, ressecamento perilabial, eczemas, dermatites, abrasão por trauma)
  • Modo de uso: aplicar no local afetado 2 a 3 vezes ao dia após higienização com solução fisiológica.

As plantas medicinais podem ser uma alternativa de grande relevância para o processo de cicatrização de feridas, que começam a fazer parte da atenção à saúde brasileira, considerando que seu uso seja validado por estudos para verificar seu potencial cicatrizante, comprovação clínica, custos e benefícios, e a constante atualização acerca das publicações realizadas.

Antes de iniciar qualquer tratamento, entretanto, é recomendado procurar um médico ou um profissional da saúde para auxiliar na definição da melhor conduta para o tratamento e acompanhar a evolução.


Fontes:

  • Telesaúde Santa Catarina

Bibliografia recomendada

  1. Piriz MA, et al. Plantas medicinais no processo de cicatrização de feridas: uma revisão de literatura.Rev. bras. plantas med. [online]. 2014; 16 (3): 628-636. ISSN 1516-0572.  Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1983-084X/12_178. Acesso em: 29 jan 2015.
  2. Brasil. Resolução RDC nº 10, 9 de março de 2010.  Acesso em: 29 jan 2015.
  3. Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopéia Brasileira / Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2011. 126p. Acesso em: 29 jan 2015.
  4. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE BETIM. DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Protocolo de enfermagem de fitoterapia. Acesso em: 29 jan 2015.
  5. LONDRINA. Prefeitura do Município. Autarquia Municipal de Saúde. Fitoterapia: protocolo/. Prefeitura do Município – 3. ed. – Londrina, Pr. 2012. 99. Acesso em: 29 jan 2015.
Leia mais...