Esclareça suas Dúvidas


Antes de iniciar qualquer tratamento de saúde, inclusive a Laserterapia, é importante consultar um profissional de saúde habilitado para realizar a correta avaliação da patologia, a partir do que poderá estabelecer se o tratamento com laseterapia é a melhor indicação para o paciente.

No pré-operatório exerce ação antiglicante (proteção contra efeitos da reação química de alguns açucares presentes na pele que provocam perda de elasticidade, potencializando o surgimento de rugas); Nutrição celular e hidratação.

No pós-operatório permite a redução de edemas, redução de fibroses, aumento da hidratação e nutrição celular, biomodulação da cicatrização, drenagem linfática, aceleração da regeneração e recuperação tecidual, estímulo à produção de fibras colágenas e elásticas, ameniza e previne intercorrências comuns como o previsível processo inflamatório. Estimula a mitose celular e reprodução de fibroblastos. Impede e minimiza quelóides e alargamento cicatricial.

Estudos comprovam melhora importante no processo de cicatrização das lesões por pressão, quando tratada a partir da aplicação de laser de baixa intensidade. A intervenção com a utilização da laserterapia acelera a proliferação tecidual e aumenta a vascularização local, com a formação de tecido de granulação mais organizado, favorecendo uma rápida cicatrização da lesão.

Sim. Nos casos em que a cicatrização demora ou as fissuras são muito grandes as mulheres podem recorrer a laserterapia de baixa potencia. A técnica oferece um tratamento terapêutico que possui ações anti-inflamatórias, anti-edema e analgésica. É indicado para traumas mamilares comuns na fase inicial de amamentação, como as fissuras ou a sensação dolorosa. Deseja saber mais? Agende atendimento (61) 3036-6594.

A termo LASER é uma sigla em inglês que significa “Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation” (Amplificação de Luz por Emissão Estimulada de Radiação). Entre suas propriedades se destacam: Efeito analgésico; Propriedade anti-inflamatoria; Ação bioestimulante; Ação descontraturante.

Basta entrar em contato com a equipe de enfermagem pelo telefone (61) 3036-6594 ou 9 9817-1242, ou por email administrativo@cenfewc.com.br. A equipe realizará o agendamento e de acordo com as informações prestadas definirá a necessidade de a visita ser acompanhada por enfermeiro e médico.

Os princípios que devem ser observados formam a palavra inglesa TIME, que tem como objetivo otimizar o leito da ferida, mediante a redução do edema, exsudato, carga bacteriana e de outros agravos que atrasam a cicatrização.

T (Tissue): que significa tecido não viável;

I (Infection):  significa inflamação / infecção;

M (Moisture):  que significa manutenção do meio úmido (exsudato);

E (Edge): significa epitelização das bordas da lesão.

 

Fonte da imagem: Instituto Andre Venturelli

A complexidade de uma lesão é determinada a partir da avaliação dos aspectos a seguir, realizada por um médico ou enfermeiro dermatologista (especialista):

Tempo de duração:

  • Aguda: lesão sem complicação, até 14 dias de duração. Exemplo: Lesões traumáticas, cirúrgicas e queimaduras;
  • Crônica: lesão de longa duração ou frequente recorrência, com duração de 6 semanas ou mais. Exemplo: Lesões de úlcera venosa, úlcera arterial, úlcera neuropática, úlcera diabética, lesão por pressão, úlcera neoplásica.

Mecanismos de cicatrização:

  • Primeira intenção: é quando a pele é cortada de maneira asséptica, limpa e a aproximação das bordas da lesão ocorre por sutura. Essas lesões geralmente cicatrizam sem complicações. Exemplo: lesões cirúrgicas.
    Fonte da imagem: Internet
  • Segunda intenção:  é o processo de cicatrização em feridas abertas com grande espessura ou perda tecidual total, com dano nos tecidos. As feridas abertas que se fecham por segunda intenção demandam mais tempo para cicatrizar, quando comparadas com as de primeira intenção, uma vez que não há aproximação das bordas. Necessitam de grande formação de tecido de granulação no preenchimento do espaço morto até que a contração e a epitelização aconteçam, podendo deixar uma cicatriz exuberante. Exemplo: lesões por mordedura.                                                                                                                    
    Fonte da imagem: Primeiros Socorros
  • Terceira intenção: a ferida é deixada aberta por um determinado período, funcionando como cicatrização por segunda intenção, sendo suturada posteriormente, como ferida de primeira intenção. Este procedimento é empregado geralmente nas feridas cirúrgicas com suspeita de infecção e faz necessário determinar se o processo de cicatrização está evoluindo sem infecção ou se há necessidade de iniciar a intervenção terapêutica específica. Um exemplo é o caso de remoção de um apêndice rompido associado ao processo de peritonite.

Conteúdo bacteriano:

  • Limpa: lesão livre de microorganismos, produzida em condições assépticas;
  • Limpa-Contaminada: lesão feita sob condições assépticas envolvendo cavidades corpórea que normalmente abriga microorganismos ou com tempo inferior a 6 horas entre o trauma e o atendimento sem contaminação significativa;
  • Contaminada: lesão com tempo superior a 6 horas entre o trauma e o atendimento e com presença de contaminantes, mas sem processo infeccioso local;
  • Colonizadas: lesão com presença de microorganismos transitórios, que não interferem no processo de cicatrização;
  • Infectadas: lesão com presença de agentes infecciosos, evidência de intensa inflamação, há interferência no processo de cicatrização.

Comprometimento Tecidual:

  • Espessura Parcial: comprometimento da epiderme e parte da derme.
  • Espessura Total: toda a epiderme, derme, hipoderme podendo se estender ao tecido muscular e ósseo.

Existem vários fatores que interferem, podendo ser fatores locais, fatores sistêmicos e tratamento tópico inadequado.

Exemplo desses fatores são:

  • Fatores Locais:
  1. Dimensão e profundidade da lesão;
  2. Grau de contaminação;
  3. Presença de secreção, hematoma e corpo estranho;
  4. Necrose tecidual;
  5. Infecção local.
  • Fatores Sistêmicos:
  1. Faixa etária como pessoas acima dos 45 anos;
  2. Estado nutricional como desnutrição, obesidade;
  3. Doenças Crônicas como Diabetes Mellitus, Hipertensão Arterial;
  4. Terapia medicamentosa associada como antinflamatório, antibiótico, esteróides.
  1. Sabão tensoativo;
  2. Soluções antisépticas.
Fonte da imagem: Nutrição e Assuntos Diversos

A Cicatrização de uma Ferida é dividida em 3 fases:

Inflamatória/Exsudativa: essa fase se inicia imediatamente após a lesão, com duração de 3 a 6 dias no qual ocorre:

  • Ativação da cascata de coagulação;
  • Liberação de sinais químicos como histamina;
  • Vasodilatação;
  • Diapedese;
  • Fagocitose realizado por neutrófilos e macrófagos;
  • Produção de matriz extracelular provisória.

 

Proliferativa: nessa fase há uma duração de até 3 semanas o que ocorre:

  • Angiongênese;
  • Proliferação de fibroblastos e produção de colágeno;
  • Reconstituição da matriz extracelular,
  • Reservatório e modulação de liberação de fatores de crescimento.

 

Reparadora/Remodelagem: de início com até 8 dias, em média, podendo chegar até 2 anos, a depender do grau, extensão e local da ferida. Nessa fase ocorre:

  • Progressiva diminuição da vascularização;
  • Apoptose;
  • Miofibroblastos;
  • Colagenase;
  • Reepitelização;
  • Reorganização do colágeno;
  • Maior força tensil.

 

Fonte da imagem: Plástica Plexus